Dez dicas para candidatar-se a uma bolsa de estudo

Ver este artigo em pdf e guardar

Vamos encarar este assunto de uma forma muito seria, a Universidade é muito cara. Muito embora haja crédito sempre disponível, quanto menos pedir emprestado, significa que, menos terá que pagar após a sua formação. Ninguém quer ter contas exorbitantes a pesarem sobre si depois da sua formação enquanto procura emprego.

As bolsas de estudo são uma outra rota para ir ao encontro do financiamento do ensino superior e estão disponíveis para pessoas de todas as esferas da vida, não apenas as super-brilhantes ou com médias excelentes. No entanto, para poder ter acesso a essas verbas gratuitas, é imperativo representar-se com precisão e de forma muito inteligente sobre a sua candidatura.

Dica # 1: Verifique cuidadosamente os requisitos de selecção
Muito embora possa parecer pouco importante, certifique que leu completamente todos os requisitos. De certeza absoluta que não quer desperdiçar o tempo da instituição que oferece a bolsa, concorrendo a uma bolsa de mães solteiras quando é um homem solteiro, ou concorrendo a uma bolsa de estudo que requer média mínima de 14 valores quando tem 13. A comissão júri que avalia os processos para a selecção, raramente altera essas regras e é bastante séria quanto a isso.

Dica # 2: Leia todas as instruções
Muitas candidaturas (pedidos) a bolsas de estudo são deitadas fora, porque os candidatos não seguiram as instruções estabelecidas. Se a candidatura, requer três referências pessoais, apresente apenas três, não duas e nem quatro. Da mesma forma que, se a candidatura pedir a média mínima de 14 valores, não concorre se tiver média inferior.

Dica # 3: Preencha todos os formulários da candidatura
Sim. Significa que tem que indicar a sua verdadeira idade e a sua verdadeira etnia. Significa também que, se for solicitado o número de filhos na sua família, forneça o número verdadeiro. Não deixe perguntas em branco no formulário, é só usar “Não Aplicável”, se realmente alguma questão não é aplicável (e as probabilidades são, se houver mais de três questões não aplicáveis na sua candidatura, provavelmente não devia estar a concorrer essa bolsa). Quando tiver a sua candidatura concluída, deve ler e reler, para verificar possíveis erros gramaticais ou ortográficos. Deve dar a um amigo de confiança ou membro de família para ler. Certifique que não deixou nada em branco e não passou nada desperdiçado.

Dica # 4: Seja pontual
Candidaturas tardias são a razão número um para que as pessoas não consigam bolsas de estudo. Meu conselho pessoal é: pegue num calendário, assinale a data limite de candidatura para uma semana antes da data limite oficial de candidatura. Dessa forma, se se deparar com algum problema, ainda dispõe de uma semana para resolve-lo e submeter a sua candidatura ainda a tempo. É assim que muitas firmas de direito funcionam nos Estados Unidos da América relativamente aos prazos. Se para eles funciona, é garantido que para si também funcionará.

Dica # 5: Ensaios são essenciais Dê-se tempo para escrever, corrigir e aperfeiçoar a sua candidatura. A maioria das bolsas de estudo requer um forte sentido de expressão e detalhes claros. Se a escrita não é o seu forte, arranje alguém que o ajude a escrever e aperfeiçoar a sua candidatura antes de submeter. Mais uma vez, dê-se tempo suficiente para faze-lo. Muitas bolsas de estudo, atribuem o peso maior a este ponto, por isso deve passar a maior parte da sua candidatura neste ponto.

Dica # 6: Legibilidade
Cerca de 70% das pessoas não consegue ler perfeitamente o que os outros escrevem à mão. A comissão de atribuição de bolsas de estudo, não vai ter tempo de decifrar letra ilegível, por isso, mesmo que seja um candidato perfeito, será esquecido se a sua letra parecer hieróglifos (enigmas). Lembra-se, vivemos na era da tecnologia e enquanto redacções manuscritas eram aceites há 10 anos, agora não é o caso. Use o computador para escrever as suas respostas. Se a sua candidatura é num papel em branco com espaços para preencher, use uma máquina de escrever. Também, pode pedir os formulários em formato digital. A última coisa que podia querer, seria ser deixado de fora porque as suas respostas não são decifradas. Se, em último caso, preferir escrever à mão, use MAIÚSCULAS e certifique que tudo é legível. Pode pedir alguém para ajuda-lo a fazer.

Dica # 7: Coloque etiqueta em tudo
Não é raro que as páginas de pedido de bolsas de estudo sejam separadas durante o processo de avaliação. Uma vez que isso é um problema, pode ter a certeza que não afecta negativamente se colocar o número de bilhete de identidade, data de nascimento ou nome em cada página que vai submeter. Isso ajudará a recuperar facilmente a sua candidatura caso seja separada.

Dica # 8: Faça perguntas
Nem todas as perguntas serão claras para todos os candidatos. As instituições que fornecem tais bolsas sabem disso, e é por isso que fornecem número de telefone para dúvidas. Use-o! As possibilidades são, se estiver fazendo uma pergunta, muitos outros têm e vão perguntar também. Não deixe que a timidez ou constrangimento atrapalhem a sua candidatura.

Dica # 9: Faça cópias
As coisas desaparecem no e-mail, estragam-se quando derramamos um café ou chá sobre elas ou perdem-se dentro das nossas casas. Se fizer cópias das suas candidaturas quando completas e coloca-las num sítio seguro, estará preparado para prováveis acontecimentos aparentemente catastróficos. Se usar um computador, guarde pelo menos duas cópias em locais diferentes (no seu computador e no disco amovível “flash”). Se estiver a usar cópias em papel, faça algumas cópias na sua biblioteca local ou centro de cópias mais próximo e guarde em locais diferentes.

Dica # 10: Ler, reler e rever
Erros ortográficos e gramaticais não são aceites. Erros gramaticais deixam de ser normais ou engraçados a partir dos 13 anos. Faça uma simples revisão por si próprio, dê a um amigo ou familiar de confiança para ajuda-lo a rever, para garantir que nada passa despercebido. Para evitar que um dia venha a escrever mal, evita abreviar mensagens de telemóvel e de correio electrónico, sobretudo escrever mal as palavras, tal como há-de se ter visto por aí escrever depoix em vez de, depois, qualker, em vez de, qualquer, etc. Atenção aos mais novos, a tecnologia veio para facilitar a nossa vida e não para dificultar e nem tão pouco substituir completamente tudo o que já fazíamos bem à mão.

Dicamatica - Portugal
Tel: +351 917 241 320
E-mail:dicamatica@gmail.com